Sociedade
KIOSK(ext)
WEBMAIL
Abrir Painel

Destaques

User Rating: 0 / 5

User Rating: 0 / 5

Levar os media para a escola - agenda de atividades de transliteracia

transliteracia

Trata-se de uma série de propostas didáticas que não precisam de grandes recursos para serem realizadas em contexto escolar e que vêm acompanhadas de vários recursos e questões chave para auxiliar os professores na sua implementação.

User Rating: 0 / 5

 O que deve saber sobre o sarampo? - perguntas e respostas

image1 sarampo

A Organização Mundial da Saúde divulgou um comunicado, em março de 2017, em que alertou para o agravamento da situação do sarampo em vários países da Europa. A ocorrência de surtos de sarampo em alguns países europeus, devido à existência de comunidades não vacinadas, colocou Portugal em elevado risco. Não há razões para temer uma epidemia de grande magnitude, uma vez que a larga maioria das pessoas está protegida porque foi vacinada ou teve anteriormente a doença. 

  • O sarampo é uma das doenças infeciosas mais contagiosas, podendo evoluir gravemente.
  • A vacinação é a principal medida de prevenção contra esta doença e é gratuita. 
  • O Programa Nacional de Vacinação recomenda a vacinação com duas doses, aos 12 meses e aos 5 anos de idade.
Anexos:
Download this file (sarampo_oms1-1.jpg)sarampo_oms1-1.jpg[ ]286 kB

User Rating: 0 / 5

Crianças portuguesas estão menos gordas, mas são muito sedentárias

Obesidade COSI

O combate à obesidade infantil parece estar a dar resultados positivos. Ainda assim, 30% das crianças entre os 6 e 8 anos tem peso a mais.

Introdução

O quarto estudo de Vigilância da Obesidade Infantil feito em Portugal nos últimos oito anos revela que o combate ao excesso de peso nas crianças está a dar resultados, apesar destas passarem cada vez mais tempo a jogar computador e irem quase sempre de carro para a escola. Os números das crianças com excesso de peso (30,5%) e obesidade (11,8%) ainda são bastante alto, mas atingiram o nível mais baixo desde 2008 (na altura eram 37,9% e 15,3%), numa descida significativa e contínua. O consumo de refrigerantes, batatas fritas de pacote, folhados, aperitivos salgados, pizzas, hambúrgueres ou enchidos é comum, mas a esmagadora maioria dos menores que os comem fazem-no apenas uma a três vezes por semana. Há no entanto um outro dado que preocupa os especialistas da Direção-Geral da Saúde: 76,9% das crianças vão para a escola de carro, sendo poucos os que vão a pé, com 64,6% dos encarregados de educação a dizer que o caminho casa-escola ou vice-versa não é seguro, numa opinião comum, também, entre quase metade dos responsáveis das escolas. 

Destaca-se o seguinte:

  • Estado nutricional infantil - de 2008 para 2016 verificou-se uma redução de 7,2% na prevalência de excesso peso infantil (37,9% para 30,7%) e de 3,6% obesidade infantil (15,3% para 11,7%);
  • Caraterísticas do ambiente familiar - a hipercolesterolemia foi a doença mais reportada (41,0%), seguindo-se a hipertensão (37,0%) e a diabetes (36,0%); as mães apresentavam uma prevalência de 12,4% de obesidade e 28,1% de pré-obesidade e os pais 14,9% de obesidade e 48,8% de pré-obesidade (auto-reportado);
  • Consumo alimentar infantil – 17,3% da população infantil consumia diariamente mais frequentemente carne do que peixe (9,8%); 75,1% consumia 1 a 3 vezes por semana biscoitos/bolachas doces, bolos e donuts; 86,8% rebuçados, gomas ou chocolates e 65,3% consumia refrigerantes açucarados, na mesma frequência;
  • Prática de atividade física e atividades sedentárias - a maioria das crianças (76,6%) ia de automóvel para a escola, considerando a maioria dos pais/encarregados de educação (64,1%) o caminho de ida e de regresso da escola inseguro; durante a semana mais de metade (59,1%) utilizava o computador cerca de 1 hora por dia, observando-se no fim-de-semana um aumento de horas despendidas para 2 horas ou mais por dia.

O estudo de Vigilância da Obesidade Infantil é feito pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, na qualidade de centro colaborativo da Organização Mundial da Saúde (OMS), e pela Direção-Geral da Saúde (DGS), através do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. No estudo deste ano foram ouvidas 6.743 crianças de 230 escolas do 1.º ciclo do Ensino Básico, com idades entre os 6 e 8 anos.

FONTE: TSF

Ler Documento PDF

O Childhood Obesity Surveillance Initiative (COSI)/ Organização Mundial da Saúde (OMS) é o sistema europeu de vigilância nutricional infantil coordenado pelo Gabinete Regional Europeu da OMS. Tem como principal objetivo criar uma rede sistemática de recolha, análise, interpretação e divulgação de informação descritiva sobre as caraterísticas do estado nutricional infantil de crianças dos 6 aos 8 anos, que se traduz num sistema de vigilância que produz dados comparáveis entre países da Europa e que permite a monitorização da obesidade infantil a cada 2-3 anos.

FONTERepositório Científico do Instituto Nacional de Saúde Departamento de Alimentação e Nutrição DAN - Relatórios científicos e técnicos

User Rating: 0 / 5

Quanto tempo podemos esperar viver?

E com que qualidade? Que problemas éticos estamos a enfrentar? Num país envelhecido como Portugal, como está a sociedade a mudar para enfrentar os desafios da longevidade?

envelhecimento 25

clica na imagem

Portugal será o terceiro país mais envelhecido do planeta em 2050: 42% dos portugueses terão mais de 60 anos. Actualmente, mais de quatro mil portugueses já festejaram 100 anos .

Anexos:
Download this file (Envelhecimento-activo-em-portugal.pdf)Envelhecimento-activo-em-portugal.pdf[Manuel Villaverde Cabral, Pedro Moura Ferreira/ © Fundação Francisco Manuel dos Santos]949 kB
Download this file (envelhecimento_secXXI.pdf)envelhecimento_secXXI.pdf[Publicado pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Nova York e pela HelpAge International, Londres.]706 kB
Download this file (Longevidade e envelhecimento.pdf)Longevidade e envelhecimento.pdf[Manuel Villaverde Cabral]178 kB

User Rating: 0 / 5

As estratégias para prevenir as dificuldades com que o seu filho poderá ser confrontado numa fase de transição e de adaptação na escola

regresso

Para algumas crianças, setembro representa o início de mais um ano letivo, recheado de expetativa e de vontade de rever os colegas. Para outras, o momento pode ser vivido com alguma inquietação, própria do habitual processo de adaptação, em especial na mudança de escola ou de nível de ensino.

User Rating: 0 / 5

Sete Dias com os Media (3 a 9 de maio)

7 dias com os media

Neste evento somos desafiados a prestar atenção ao lugar que os media e as redes sociais ocupam no nosso quotidiano. Uma proposta de parar para refletir e agir sobre um campo que é vital para a qualidade da vida individual e coletiva:

  • Como nos podemos tornar mais capazes de um uso inteligente e criativo das máquinas e dos conteúdos e ser mais exigentes naquilo que partilhamos e de que gostamos?
  • Como podemos enriquecer-nos culturalmente com as redes sociais e outras plataformas digitais?
  • A que ferramentas e métodos recorrer, para ser capaz de distinguir entre o que tem valor e o que é mentira ou mesmo charlatanice?
  • De que modo gerir o tempo, para não ficarmos demasiado dependentes dos ecrãs e, antes, os utilizemos para enriquecer os encontros diretos e explorar o mundo em que vivemos?

User Rating: 0 / 5

Como deve mudar a educação do seu filho para enfrentar os desafios do futuro?

escola

Tony Wagner, diretor do Laboratório de Inovação da Universidade de Harvard e um dos maiores especialistas mundiais em educação, diretor do Laboratório de Inovação da Universidade de Harvard, propõe uma autêntica revolução na educação. Assim, argumentando que o conhecimento está em todo o lado e acessível a todos, defende um repensar do papel da escola, com os professores a mudarem o seu papel tradicional de transmissores de conhecimento e a tornarem-se ‘apenas’ a força motriz por trás do talento dos seus alunos.


Ver vídeo numa nova janela...

A revolução apresentada por este professor reside na necessidade de mudar o modelo educacional atual para que os jovens possam enfrentar com garantias o futuro que os aguarda. Wagner argumenta que devemos repensar o papel da escola, já que o conhecimento está em todo o lado e acessível a todos, pelo que deixou de ser essencial ter uma pessoa para o transmitir. Assim, bons professores devem mudar o papel que desempenharam até agora para se tornarem a força motriz por trás do talento dos seus alunos. A curiosidade e a criação artística, diz ele, estão inscritas no DNA do ser humano, por isso devemos perguntar-nos o que fazemos de errado com as crianças para que percam essas inquietudes quando se tornam adultos. Como todo o verdadeiro revolucionário, Tony Wagner baniu a palavra "medo" do seu vocabulário. E incentiva professores, educadores e instituições a fazer o mesmo. Devemos reinventar a educação e dar um sentido moral a tudo o que fazemos.

Fonte: EXPRESSO

User Rating: 0 / 5

Papilomavírus Humano (HPV): Há Cancros que podem ser prevenidos

ha cancros que podem salvar vidas

A iniciativa pretende educar e sensibilizar a população para os cancros e outras doenças associadas à infeção pelo Papilomavírus Humano (HPV) e suas formas de prevenção. O objetivo da campanha é reforçar junto da população portuguesa que o Papilomavírus Humano não escolhe género (pois provoca doença no sexo feminino e masculino), nem escolhe idade (não há limite de idade para se poder desenvolver doença), mas que a prevenção é possível.

No site, jovens e adultos podrão aceder a informação completa e detalhada sobre o que é o Papilomavírus Humano, sobre os cancros e doenças provocadas pelo vírus, que sintomas provocam, quem está em risco e quais as formas de prevenção.